quinta-feira, 1 de março de 2012

O primeiro a gente nunca esquece


Tenho falado isso para mim todo o santo dia. E por isso resolvi diminuir, melhor espantar os 11 kg, que tomaram posse de mim. É sempre aquela velha história, eu tinha um peso normal 68 kg, me sentia a gostosa, mas depois que comecei a namorar o que hoje se tornou meu noivo, eu ganhei 11 kg. Eu hoje percebo que o amor engorda. Mas não foi só isso, como mudei de emprego passo a maior parte do tempo sentada, ganhei o que chamo peitinhos nas costas, aquelas pelanquinhas que se acumulam ao redor e derredor de toda a sua área das costas. Então... Elas estão aqui firmes e fortes, e desde então só ando com blusas larguinhas, para que elas não fiquem berrando por ai.

A ficha caiu quando...

Quando viajei para visitar minha amiguinha querida Natália em Belo horizonte e todos passaram a falar... “Você está gordinha não”... Eu pensava na minha cabeça de cuia... Ah balela... Fui à lagoa da Pampulha tirar fotos... E boom... Quase gritei.
Eu tinha milhares de peitinhos nas costas... Quase chorei. Dobras que não me pertenciam... Fiquei desesperada... E foram muitos mais coisas, saias que já não entravam mais, as fotos a qual antes tirava e me sentia a tantan da história foi ficando horríveis, os braços meu Deus os braços em fotos são coisas que te denunciam logo... Aquela sensação horrível de sempre estar cheia e ai... Ai a auto estima foi ficando abalada... Mas por enquanto nada fiz... Pensava depois eu perco... E lá se foi embora o ano de 2011, e lá ficou estacionado em meu corpo 11 kg, a qual tinha ganho. Pensei e falei a mim mesma, está de sacanagem né, tenho e que parar de ficar acomodada, vão si borá. Tomei a santa vergonha na cara e logo comecei a correr atrás do preju. Entrei na academia, estou fazendo RA. E espero imensamente recuperar minha forma humana. Eu tenho que ser a tantan novamente, não para que os outros percebam, mas para que eu me sinta bem, melhor e saudável. E é claro para que eu entre linda e magra no meu vestido de noiva... Há eu vou me casar, mas isto é história para um outro blog que escrevo. Depois publico aqui o site. E isso ai sempre gritando para mim mesma:
Eu quero eu posso eu consigo, e sempre meditando “Eu sou aquilo que como”.

Tatielle Domingos